O perdão e a cura

15 de mai de 2010



O que é mais fácil dizer: "Teus pecados estão perdoados" ou "Levanta-te e anda"?

Olá galera, é com muito prazer que venho postar no Super Beringela e dizer: Eu estou viva! =D
Bom, os estudos me consumindo a cada dia mais e não restam mais tempo para postar no SB!  Ah, hoje é aniversário do queridíssimo município de Várzea Grande, parabéens pelos 143 anos. 
Mas enfim, vim aqui compartilhar uma história com vocês que lí semana passada e que me fez refletir muito sobre o perdão e a cura. (:
-----------------------
Emma, sofreu abuso e foi abandonada pelos pais quando criança, tendo sido criada no sistema de lares adotivos. Sua infância foi extremamente sofrida por causa do tratamento que recebeu dos pais e também em vários locais onde morou. Emma sempre culpara os pais pelo sofrimento que teve que suportar, mas ultimamente decidira colocar uma pedra em cima do passado.

Mas o passado de Emma recusava-se a ficar para trás. Ela sentia raiva grande parte do tempo, não confiava nas pessoas, nunca dormia bem e fazia sistematicamente más escolhas nos seus relacionamentos.
Emma havia desculpado os pais, mas não os havia perdoado. No entanto, queria seguir em frente, sem olhar para trás, achando que revolver todas aquelas recordações dolorosas da infância era penoso demais e não adiantaria nada. No fundo, Emma não queria perdoar os pais porque achava que ao fazer assim estaria tornando a atitude deles aceitável. Mas isso isso não é verdade. Pode-se perfeitamente perdoar as pessoas, mas optar por não permitir que elas voltem a fazer parte da sua vida se você não achar que recebê-las de volta seria uma boa coisa. Emma precisava acreditar que o que os pais fizeram foi errado, mas não tinha que continuar a odiá-los por isso. O seu ódio só estava magoando. Emma precisava perdoar os pais por causa dela mesma, e não deles.
Agora, Emma não se sente mais sozinha, ela começou a olhar de novas maneiras para o ressentimento que os pais despertaram nela. Ao perdoá-los, ela libertou a si mesma de uma vida de culpa e ódio.

Quando somos feridos no nosso nível mais profundo precisamos passar por um processo que exige a nossa participação ativa. Precisamos nos esforçar para identificar o que foi ferido no nosso coração e no nossos relacionamentos para em seguida perdoar. É mais fácil dizer "Levanta-te e anda" do que dizer "teus pecados estão perdoados". Curar fisicamente o corpo é mais fácil quando comparado com o arrependimento e o perdão necessários no coração humano.
É mais fácil desculpar as pessoas do que perdoá-las; msa para o nosso crescimento o ideal é perdoar. 


0 comentários: